sábado, 15 de outubro de 2011

A garota que antes sorria, brincava e pulava de alegria,
Não via, não sentia e nem doía,
Não sabia, não media e nem entendia,
Hoje se arrastas aos trampos, pelos cantos,
Com medo, insônia e noites de espantos,
Com sangue e facada de tantos.
Um dia essa garota cresceu, floresceu
Aprendeu, ensinou, viveu,
Plantou, cuidou e colheu,
Mas um dia essa garota se apaixonou
E mais uma vez ela se fudeu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário