quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Não me recordo do tempo em que eu não era presa a nada.
Não era presa ao amor.
Não era presa a esse sufoco,
A esses sentimentos, a essa angústia.
Não me lembro da época dos sonhos bons.
Quando me contavam histórias e finais felizes antes de dormir.
E quando o picho-papão queria me atacar, minha mãe aparecia e virava minha heroína.
Quando os meus pesadelos só ficavam na minha imaginação,
E os sonhos bons invadiam a realidade.
Quando eu passava o dia inteiro jogando futebol e brincando de carrinho com os meus amigos.
A época que eu era inocente
E meu melhor argumento era chamar os outro de babuíno da bunda vermelha.

Para onde foram todas essas coisas ?

Nenhum comentário:

Postar um comentário